Sunday, November 29, 2015

Ahoo Navegantes da Nau VIDA!

Mais de dois anos sem publicar no blog! Ausência ditada pelas escolhas que fizemos. Foi um tempo de muito trabalho interior e muito trabalho na matéria também.

Muitas consciências vêm chegando ao Planeta nestes tempos. A nós também. Muitos projetos novos também começaram, e a grande viagem geográfica do Projeto Desacelerando Pela Terra (dfE) foi encerrada. Estamos enraizando. 

Primeiros passos no Projeto Acolhimento



Sinto a necessidade de retomar esta comunicação via blog, pois urge neste planeta a consciência definitiva sobre a necessidade de desacelerar nossos ritmos e ouvirmos a nossa Essência. Muito mais do que quando iniciamos a nossa jornada em 2010, hoje não há mais para onde escapar. TODAS as ações para viabilizar a Vida na Terra, com amor divino, PRECISAM ser tomadas por TODOS. Cada um de nós. E quero somar consciências com todos que aqui amorosamente já nos visitaram e nos visitarão.

Não há mais tempo para esperar milagres, para esperar soluções mágicas da tecnologia, para esperar que congressos, bancos ou qualquer outra instituição salve a vida na Terra. Eles não farão isso. Pelo contrário. Estão cegamente empenhados no contrário.  Nós - os simples humanos das ruas e da roça -  precisamos fazer os milagres. Literalmente.

Assim, não podemos mais nos omitir. Por isso, voltarei a me comunicar aqui, neste blog, com todos que queiram se juntar ou já estão juntos nessa caminhada. Agora porém com mais amorosidade, sem guerra. Essa consciência chegou muito claramente nos últimos 5 anos de caminhada pelo mundo. Há muitos que optam por protestar, mas há muito mais para se fazer sem guerra de nenhum tipo. Escolhemos - ainda que algumas vezes escorreguemos - agir sem guerra. Boicotar em vez de reclamar. Procurar alternativas em vez de forçar o sistema a mudar. Localizar em vez de globalizar. Amar em vez de lutar.

Que agora este seja um espaço que privilegie o alinhamento da consciência e as ações concretas pela Vida e pelo Amor Divino nessa Terra.

Vamos sim, falar do que faliu. Das nossas sombras civilizatórias. Mas vamos olhar  mesmo para a cura deste Planeta, do qual nós - humanidade - somos parte vital.

Vamos falar de novos projetos, mas com mais ênfase às Redes da Nova Era, que não param de se formar e de se interligar, imitando a Natureza, que na sua perfeição, tem TUDO conectado.

Novos e bons projetos já estabelecidos não salvam nada sozinhos, mas são agora elos de uma grande rede de amor que se forma no Planeta. Parte da grande consciência coletiva - noosfera - da qual fazemos parte e agimos ativamente, seja positiva ou negativamente.

Dentre os novos projetos que compartilharemos, como elos da grande virada, estão:

  • o Projeto Acolhimento, de Meditação Vipassana no Brasil;
  • Atelier Ancestral de produtos Naturais Artesanais;
  • Núcleo Agroecológico Essência da Terra;
  • Resiliência Engenharia Ressignificada.

Todos filhotes do Desacelerando pela Terra que, agora, se revitaliza, pois a busca pela desaceleração não terminou. Pelo contrário, fica cada dia mais importante.

Gratidão a todos nos deram suporte até aqui. Gratidão a todos os feedbacks que recebemos. A todos os que, com ajuda deste blog e de mini-seminários do dfE, tiveram aquela gotinha a mais de coragem para fazer as transições nas suas vidas, da apatia para a busca da Verdade, e que compartilharam suas maravilhosas histórias de libertação conosco. Não foram poucos.

Até breve!

Axé!


Amor posto em Bálsamos no Atelier Ancestral

Wednesday, August 21, 2013

COLETOR MENSTRUAL E ABSORVENTES LAVÁVEIS:



UMA ALTERNATIVA SEGURA, ECOLÓGICA E ECONÔMICA 

A humanidade pode desenvolver uma poderosa tecnologia, porém, sem um correspondente desenvolvimento da consciência"

Trigueirinho.





O LIXO DESCARTÁVEL

Descarte os descartáveis. É tempo de cuidar melhor da Terra e de você..

Por que nos preocupar com o lixo que geramos, se é tarefa da concessionária levá-lo e dispô-lo em algum lugar? Esta é a opinião racional e moderna, muito comum nos dias de hoje. No entanto, é limitada e irresponsável sob as perspectivas de saúde humana e ambiental. Independente de descartarmos nosso lixo na lixeira, na verdade, a história do lixo não acaba aí. Nos iludimos ao acreditar que a concessionária vai dar uma solução mágica para o nosso lixo. Negativo!

Somente uma pequena parte do nosso lixo é reciclado. A maior parte vai parar nos aterros [lixões] e em todo o lugar, contamina solos e águas subterrâneas, obstrui galerias, polui rios e mares. Esse mesmo solo que recebe o nosso lixo, nos dá o alimento e a água que mata a nossa sede. Parar de usar e de demandar plásticos e outros derivados tóxicos de petróleo já não é mais alternativa, é uma questão de saúde. E a responsabilidade é toda nossa.
Nos Estados Unidos, aproximandamente 20 BILHÕES de absorventes são depositados em lixões, todos os anos. (Imagem da internet)
   
OS ABSORVENTES DESCARTÁVEIS

Neste contexto, a preocupação com o descarte dos absorventes silenciosamente tomou a minha consciência. Eu me perguntei: é possível viver sem absorventes descartáveis? Era tempo de mudar. Iniciei uma pesquisa sobre o tema e os dados me surpreenderam. A proposta deste texto é dividir com vocês informações sobre alternativas sustentáveis ao uso de absorventes descartáveis. 

Você sabia que cada uma de nós gera cerca de 11 mil absorventes durante a nossa vida fértil?2 Logo surge a pergunta: se reciclam absorventes? Não! Absorventes e tampões são considerados lixo hospitalar e são feitos de materiais diversos de difícil separação para reciclagem (gel, plástico, fibras de algodão tratadas quimicamente). No mundo, apesar de serem considerados lixo hospitalar, absorventes tem sido destinados como lixo comum. Nestas condições, levam até 100 anos para serem decompostos, comprometendo a saúde pública, causando contaminação do solo e poluição visual. 

Além disso, os absorventes descartáveis são impregnados de produtos químicos (dioxinas, cloro, perfume) que, em contato direto e freqüente com as mucosas da mulher, causam abafamentos, proliferação de fungos e bactérias, cólicas, alterações do fluxo, alteração no PH, alergias, além de esconder a cor, o cheiro e a textura do sangue menstrual1. Absorventes descartáveis também podem desregrar o ciclo menstrual.

Desconectada do seu ciclo natural e sem conhecer o aspecto normal do seu sangue, a mulher não percebe alterações na menstruação e no corpo que poderiam ser bons indícios para a solução de problemas, com medidas simples e caseiras. 


ALTERNATIVA ECOLÓGICA E ECONÔMICA 

Como alternativa aos absorventes descartáveis, encontrei os absorventes laváveis e o coletor menstrual. Daí, a minha relação com o meu ciclo mudou. Estou usando absorventes laváveis e o coletor menstrual há 4 meses, levo comigo nas viagens e estou adorando. Hoje, eu conheço o aspecto natural do meu sangue, me conheço melhor e recomendo sem medo. É prático, fácil de colocar, retirar, não vaza, não cheira e não me restringe em nada. Posso correr, nadar e praticar yoga sem incômodos e com a consciência tranqüila de estar cuidando do meu corpo e do ambiente.


Os absorventes laváveis ou paninhos absorvem fluído externamente, são confeccionados em tecido de algodão, têm capacidade de absorção muito superior aos absorventes externos descartáveis e proporcionam mais higiene, frescor, suavidade e conforto. Não causam alergia e são livres de substâncias químicas pesadas. São convenientes, fáceis de lavar e duráveis. 

Imagem Arte-Mísia
  
A lua, que completa seu ciclo a cada 28 dias e influencia os fluídos do planeta Terra, cedeu seu nome ao copinho da lua, como é popularmente chamado o coletor menstrual. Foi desenvolvido para coletar o fluxo menstrual internamente, ao contrário dos absorventes internos, que absorvem somente. Isso significa que não seca nem irrita e coleta muito mais sangue - pelo menos 3 vezes mais que o absorvente interno. O copinho é confeccionado em silicone hospitalar atóxico e hipoalergênico, de acordo com a ergonomia feminina. Disponível em tamanhos diferentes, é reutilizável, extremamente prático, seguro, confortável, dura até 10 anos e é esterilizado via fervura, no início e final de cada ciclo.2


Imagem da internet

O copinho da lua foi desenhado para ser dobrado, inserido na vagina e, em até 8 horas, removido, esvaziado, lavado e recolocado. Uma selagem leve é formada com as paredes da vagina, permitindo que o fluído seja coletado sem vazar ou cheirar. Pode ser usado durante a noite, em viagens, exercícios e até para nadar, sem risco.2


Como os absorventes laváveis e o copinho da lua são reutilizáveis e duram anos e anos, você economiza e protege o meio ambiente. O valor de um copinho, que dura 10 anos, compra absorventes descartáveis por 2 anos em média. Conclusão: o copinho custa até 5 vezes menos que os absorventes descartáveis! Com a vantagem de ser seguro, livre de químicos e toxinas. : )


O SANGUE MENSTRUAL COMO FERTILIZANTE ORGÂNICO

O sangue menstrual é reconhecido como um excelente fertilizante orgânico. Em algumas comunidades rurais, mulheres doam seu sangue para a Terra em rituais para assegurar fertilidade e colheita abundante.3 O fluido coletado no seu copinho da lua ou a água do molho dos seus absorventes laváveis é fonte natural de nitrogênio, capaz de recuperar solos exaustos e nutrir as plantas. Produtores de orgânicos compram sangue desidratado de animais como fertilizante não-sintético. De acordo com Gowariker em The Fertilizer Enciclopedia, dentre os fertilizantes orgânicos, este concentra mais nitrogênio que qualquer outro. Por que não usar o sangue menstrual diretamente nas plantas? Para aplicação em horta, recomenda-se secá-lo ou compostá-lo para eliminar eventuais patógenos existentes.4


UM POUCO DE HISTORIA

Muitas pessoas se surpreendem ao saber que o primeiro coletor menstrual foi desenvolvido na década de 1930 pela atriz americana Leona Chalmers, na mesma época dos tampões comerciais. As empresas preferiram a idéia da venda mensal de tampões e lançaram campanhas publicitárias massivas. Apesar do coletor menstrual ser adotado por mulheres conscientes, não conseguiu fazer frente ao grandes orçamentos de propaganda e a cultura que associa descartáveis à conveniência.

Alternativas sustentáveis realmente começaram a ganhar popularidade na década de 1980 quando mulheres buscavam alternativas ecológicas e econômicas. Foi nesta mesma época que Su Hardy, enquanto mochilava na Austrália com sua filha de 1 aninho, experimentou um coletor menstrual de látex e começou a importar em pequena escala no seu retorno à Grã Bretanha.

Vendendo o coletor menstrual para amigas e amigas das amigas, Su percebeu que as mulheres britânicas estavam preparadas para este novo conceito. Após pesquisa extensa seguindo relatos de alergia ao latex, Su desenvolveu uma alternativa hipoalergênica em silicone hospitalar. Em 2002 foi lançado o “Mooncup” na Grã Bretanha e hoje é distribuído em mais de 50 países no mundo, incluindo o Brasil.


ENQUANTO ISSO, NO BRASIL...

O copinho da lua é utilizado por mulheres americanas, australianas e européias há muito mais tempo que pelas brasileiras. Contudo já existem opções nacionais. Dentre elas, destaco a Arte-Mísia que, além do copinho, oferece soluções sustentáveis diversas para mulheres conscientes sobre sua saúde e o meio ambiente. A Arte-Mísia demonstra sua responsabilidade social - ao apoiar as Costureiras de Itaquaciara, projeto social em Itapecerica da Serra/SP que confeccionam os absorventes laváveis de forma artesanal - e compromisso com o meio ambiente - ao receber os copinhos, no final da sua vida útil e destiná-los para a confecção de solados de sapatos, sacolas e outros artigos menos nobres. Além disso tudo, a Arte-Mísia estimula a oferta do sangue menstrual para a mãe Terra e assim, nutri-la com o que há de melhor em nós. 

Absorventes laváveis e o copinho da lua dão um fim à poluição, minimizam desconforto e a despesa que os absorventes descartáveis representam. Podemos lançar lixo à Terra ou devolver os nutrientes, a fertilidade e a vida que a Terra generosamente nos dá. Tudo é uma questão de escolha.

Raquel Miranda


Referências:

DAYLY, Gretchen C. Nature's services. ISLAND PRESS. 1997.

PRESTON, Micaela. Practically green. BETTERWAY BOOKS. 2009.

GOWARIKER, KRISHNAMURTHY, DHANORKAR, PARANJAPE. The fertilizer encyclopedia. WILEY. 2009.

RILEY, Trish, The complete idiot's guide to green living. ALPHA BOOKS. 2007.




1luartemisia.com.br


2mooncup.co.uk


3goddessontheloose.com/womens-blood-mysteriesby-adelheid-ohlig/


4recyclethis.co.uk

Thursday, August 1, 2013

O uso de bicarbonato de sódio no creme dental

Ficamos felizes com o interesse e dúvidas com relação ao post sobre creme dental natural publicado anteriormente. Neste texto falamos sobre o uso de bicarbonato de sódio no creme dental.


Há, de fato, uma onda de branqueamento dos dentes que usa principalmente bicarbonato de sódio combinado à alvejantes, o que levou à discussões sobre o uso de ácidos branqueadores sem supervisão do dentista e suas contra-indicações ao esmalte do dente.


O bicarbonato de sódio é um composto alcalino fraco usado na preparação de vários alimentos e tem excelentes qualidades bucais. O bicarbonato limpa, combate o mau hálito, remove as placas que contribuem para a formação de cáries e contribui para a saúde bucal geral. Em pequenas quantidades, pode até ser ingerido pelas crianças pois não é tóxico.


Eduarda Christine (5 anos) comenta: "a pasta é salgadinha, eu gostei!" 

A desvantagem é que, se utilizado repetidamente, em grande quantidade, ao longo do tempo, é ligeiramente abrasivo ao esmalte dos dentes1. Mas o efeito abrasivo é amenizado se usado em pequenas quantidades (bolinhas de 2 mm do creme dental), escovação leve (sem muita pressão da escova contra os dentes) e/ou aumentando a quantidade de ervas na receita.


Por outro lado, as pastas de dente convencionais existentes no mercado levam muitos químicos e alguns deles comprovadamente cancerícenos como o lauril sulfato de sódio e sacarina, por exemplo. Em relação a isso, o creme dental natural é uma alternativa mais segura e saudável.


Como dito acima, aumentar a quantidade de ervas é uma forma de diminuir a quantidade de bicarbonato à cada escovação. Já testamos com até 4 partes de ervas e 1 de bicarbonato e funcionou muito bem (veja receita abaixo). Além do mais, existem muitas outras receitinhas de creme dental natural sem bicarbonato, usando argila como base, por exemplo2.

De qualquer maneira, sugerimos pesquisar sempre em fontes diferentes, observar os efeitos no seu corpo, testar e alternar suas receitas de creme dental.

Agradecemos as visitas ao blog,

Hálito puro e saúde para todos : )


1http://www.md-health.com/Brushing-Teeth-With-Baking-Soda.html
2http://www.keeperofthehome.org/2012/10/homemade-clay-toothpaste.html

-----------

RECEITA SIMPLES DE CREME DENTAL NATURAL

Adicione uma colher de sal marinho, bicarbonato de sódio, água e erva, uma porção de cada (opções de ervas: cravo esmagado, hortelã, menta, erva-doce, sálvia, camomila, funcho, alecrim ou mirra). Esmague-os num pilão até obter uma textura de pasta. 

Uma escovação leve (sem muita pressão sobre os dentes) com uma pequena quantidade do creme dental (bolinha de 2mm de diâmetro) funciona muito bem.

Dica: para ter um creme mais herbal sugiro usar uma mescla de ervas. Neste caso vão 4 partes de ervas, 1 parte de sal marinho, 1 parte de bicarbonato de sódio, 1 de água e aproveite os benefícios!



Wednesday, June 19, 2013

Brasil na Copa do Mundo ANTI-CORRUPÇÃO - Chega de Futebol


Dedicamos este post especiamente aos nossos amigos não-brasilieros que conhecemos ao longo da nossa jornada pelo mundo em busca de sustentabilidade e Paz de Espírito.

Caros Amigos,

Nesse momento, em todo o nosso país, algo único está acontecendo e nós acreditamos que é, de alguma forma, o nascimento de uma nova consciência humana, mais ligada à verdadeira cooperação e distante da ganância, que vem impregnando a humanidade há milhares de anos.

Milhares ocupam o Congresso - Imagem da Internet
Ao todo, milhões de pessoas comuns estão protestando por mudanças reais. Provavelmente, o nosso país finalmente despertou contra a corrupção, sem qualquer bandeira partidária, livre de qualquer liderança tendenciosa. Essa é a primeira vez que isso acontece desde a Grande Invasão, em 1500.

Embora as manifestações por vezes terminem em violência, acreditamos que a maioria das pessoas no Brasil estão alinhados com o que temos  tentando promover, através deste blog: positivismo e otimismo em torno das fantásticas e pacíficas alternativas para a vida como a redução do consumo, o desapego do materialismo, sustentabilidade, Permacultura, etc.

Entre outras, as razões para os protestos estão sendo os gastos e a corrupção vergonhosa em torno dos eventos Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos que são - na verdade - uma envergonha para os Brasileiros livres de ganância. O orgulho que tínhamos do nosso futebol nacional está completamente à sombra e, para ser honesto, é irrelevante agora.

Não diferente, todo o resto que vem das elite-ganância representadas pelos bancos, corporações, governos e políticos não é nem um pouco melhor. Embora a maior parte do mundo (nações razoavelmente humanizadas/não-cegas) está ciente do já alcançado "pico do petróleo" e já tenham começado a procurar fontes alternativas de energia, promover estilos de vida baseados em recursos, essas elites-ganância brasileiras estão comemorando a "conquista" do famigerado pré-sal, recurso extremamente arriscado, ineficiente e poluente. E não surpreendentemente, começaram a leiloar essas reservas para o exterior. Isto significa MAIS EFEITO ESTUFA E FUMAÇA PARA O MUNDO INTEIRO RESPIRAR.

Corporações como a Monsanto, Shell, Petrobrás, FIAT, Santander, etc estão em festa no Brasil. O consumismo cresce vertiginosamente como na China. O Brasil se tornou uma bomba relógio ambiental.

video

Dentro deste cenário, nós gostaríamos de compartilhar com todos os nossos amigos, com quem nos comprometemos em hospedar para a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, o seguinte:

Mantemos o nosso compromisso e boas-vindas a todos para visitar o nosso país diverso e colorido, mas de uma maneira muito diferente. 

Ficaremos imensamente felizes em encontrar projetos de voluntariado para recebê-los. Temos muitos amigos que podem receber estrangeiros. Talvez, em 2014, em nosso próprio cantinho. Há muitas oportunidades de entrar em contato com a cultura e as pessoas de um Brasil que nunca é visto na mídia de massa.

Entretanto, tudo isso fica expressamente desconectado da Copa do Mundo da FIFA e os Jogos Olímpicos, que claramente demonstraram ser tão corruptos quanto os governos e empresas locais. Assim, vamos juntos ajudar a varrer a corrupção para fora deste país e deste Planeta.

Se você vier para o Brasil, tente evitar voar. Planeje com antecedência e venha VELEJANDO - por que não? É fantástico! (findacrew.com pode ajudá-lo!).

Onde quer que você esteja, não se esqueça de se divorciar de seu carro e da TV (se você ainda não fez isso).

Respeitosamente, pedimos a todos os amigos, também comprometidos com a não-corrupção, o respeito aos direitos humanos e com uma nova era de cooperação para, neste momento, apoiar os brasileiros não-gananciosos  nesta marcha.

Da mesma forma, queremos nos solidarizar com todos os povos da Terra em suas manifestações genuínas contra laceração cultural, a corrupção, o consumismo, o neo-colonialismo, a escravidão moderna, a tirania, a discriminação, o desperdício, etc

Pacificamente, vamos juntos enfraquecer o Império da Ganância e libertar a Terra do pior mal que já a assolou!

Gaia agradece!

Raquel e Francis

Noite Azul e Tempestade Azul

Tuesday, April 9, 2013

Viva o PRÉ-SAL!





Muitas vezes criticamos europeus e americanos por terem devastado quase todos os seus recursos naturais ao longo dos séculos passados, principalmente sua biodiversidade. E isso é a mais pura verdade. Eles fizeram mesmo. "Verdadeiros bárbaros imperialistas", diriam alguns.

Para não restar dúvida da barbárie destes povos, um insider  (Estado-unidense descendente de Europeus), Jared Diamond escreveu o livro que esclarece como eles chegaram ao ponto de dominar o mundo: usando muita violência, sorte geográfica e pouca inteligência. Guns, germs and steel é um clássico que até virou documentário da National Geographic, nos tempos em que era um canal de informação.

Inúmeros outros livros descrevem como e porque estes povos, além de dominar o mundo, insanamente gastaram quase todas as suas reservas importantes. Se esbaldaram durante ~200 anos gastando mais da metade da sua (e a dos outros) maior poupança energética - o petróleo - que a natureza levou muitos e muitos MILHÕES de anos para acumular.

Agora, dependem de recursos alheios, que são obtidos através de falácia financeira junto com manipulação em massa da consciência (um tipo de barbárie mais sofisticada), às vezes chamada pelos nomes bonitos de Globalização e Livre Mercado ou, quando não é suficiente, usam a força militar mesmo (a boa e velha barbárie).

Realmente, são povos que se consideram muito especiais para merecer o privilégio de gastar, em tão pouco tempo, o que foi generosamente acumulado durante tanto tempo.

Aí, hoje, assisti um documentário sério em defesa da Petrobrás, e o resgate do slogan criado por Getúlio Vargas: "O Petróleo é nosso". Desta vez, cientistas, petroleiros, sindicalistas, economistas, legisladores e vários outros proeminentes brasileiros parafraseiam Getúlio em defesa do monopólio e extração do worldwide famosíssimo e "redentor" pré-sal.

Parece haver um consenso na "elite" Brasileira que há petróleo suficiente para pelo menos 30 anos. 50 anos talvez! E há até para exportar!!! Que "pico do petróleo" que nada. Ninguém sequer menciona isso.

Também há pouca dúvida que devemos extrair todo o pré-sal (seja qual for o seu tamanho/quanto-maior-melhor-é-claro). Numa cena, um sindicalista anima uma grande assembléia profetizando que o Brasil ficou atrasado por 60 anos por falta de petróleo. Agora, é a nossa redenção!!! A assembléia deve entrar em frenesi! Viva o pré-sal!

O documentário também elucida que o pré-sal Brasileiro iniciou sua formação junto com a divisão de Gondwana, o continente gigante que deu origem à África e América do Sul (pelo menos). Assim como a configuração continental que temos hoje, as reservas de hidro-carbonetos levaram milhões de anos para se formar.

Creio que entendi o recado do documentário: Também somos seres "especiais". Tanto ou mais do que Estado-unidenses e Europeus: por isso vamos queimar nossa poupança de milhões de anos em mais ou menos cinquenta, e mostrar para aqueles bárbaros que AGORA É A NOSSA VEZ DE QUEIMAR TUDO!

Aquí pra eles, ó!

Poderiamos até usar outro famoso slogam, "Cinquenta anos em cinco", do JK - só que adequando ao cenário Pré-sal:

MILHÕES DE ANOS EM CINQUENTA 

UAUAUAUAUA (como gargalham os colunistas engraçados desesperados por leitor-IBOPE). É ISSO AÍ! Milhões de anos em cinquenta.

[Vou cobrar Royalties  por essa uauaua]

Voltando a seriedade, só fiquei intrigado com o silêncio absoluto da esclarecida elite em relação as inúmeras conseqüências de torrar petróleo. Hum... deve ser porque há muito tempo não acontecem desastres ecológicos, os sistemas climáticos da Terra nem estão mudando abruptamente, nem temos visto guerras-fiasco por petróleo. 

Tampouco as sociedades industriais têm protagonizado atrocidades como destruição de culturas e povos, desigualdades abissais, apropriação de elementos vitais como terra de agricultura, água, sementes e até ar. Nem presenciamos genocídios. Nem comemos agrotóxicos em tudo que sai do supermercado, nem poluímos quase todas as nossas águas…

E mesmo que essas coisas estivessem acontecendo, nem tem nada a ver com petróleo, né?

Além do mais, acho que somos tão especiais que nem precisamos pensar nas conseqüências do que fazemos. Nem aprender com os erros dos outros (bárbaros malditos) ou do passado. Isso é coisa de trouxa. De mané. Otário mesmo.

Deus é Brasileiro.

Viva o pré-sal! Vâmo torrá tudo mesmo.

aprendê com os erru dos ôtro pensamento de van-guarda consecuencia; *&   eu eim…. : )

Friday, November 23, 2012

CREME DENTAL NATURAL - Como fazer

Um pequeno passo para uma vida mais simples e independente!



Já imaginou as consequências de não precisar comprar produtos de limpeza e higiene?

Significa INDEPENDÊNCIA!

A sensação de não precisar do supermercado é muito boa. As "crises" econômicas nos afetam muito menos, não consumimos substâncias que não temos idéia do que nos causam e nosso precioso tempo não é povoado pelo terror do aumento de preço, desemprego, etc. Sem falar no prazer de usar algo que nós mesmos preparamos com carinho.

Neste post, dividimos uma receitinha que aprendemos e estamos usando de Creme Dental Natural. Fácil de fazer, baratinha, salgadinha e sem gosto de químicos sintéticos.

Assista o video:



Além de creme dental, aprendemos a fazer todos os produtos de higiene e limpeza que uma casa pode precisar, TUDO com produtos naturais.

Se interessou? Experimente fazer também e pesquise na net para muito mais receitas! Compre livros e aprenda como fazer!

Esperamos que gostem!

Raquel e Francis


Friday, October 12, 2012

É o AQUECIMENTO GLOBAL uma falácia?


Nota aos distintos leitores sobre o conteúdo não-científico desta publicação, clique aqui.

Ampliando a visão sobre o meio ambiente da Terra

Em 2010, quando lançamos nosso programa voluntário de redução de consumo  tínhamos algumas certezas, com base em nossas experiências anteriores. Dissemos na primeira postagem que "... crescimento econômico em si é um paradigma... tal crescimento acelerado dos últimos séculos, causou perdas indubitáveis a Terra,... o aquecimento global e suas conseqüências, como desequilíbrio planetário e destruição em massa da natureza ".

Mesmo com essas certeza na mochila, ainda considerávamos a possibilidade de estarmos equivocados, de termos informação insuficiente. Seria  possível, por exemplo, que o Planeta estaria placidamente se ajustando a todas as atividades humanas e, portanto, reduzir nosso consumo seria uma decisão tola. Mas, em qualquer caso, viajar parecia se encaixar perfeitamente ao objetivo de entender o que se passa no Planeta, seja para confirmar ou invalidar nossas idéias. E afinal, o que é melhor do que verificar in loco e dedicar tempo para coletar informações quando se quer debelar possíveis enganos?






Bem, depois de 21 meses de viagem, ...